5 Regras de Ouro das Finanças Pessoais para Você Aplicar no seu Dia a Dia.

No artigo de hoje eu trago 5 das principais regras sobre finanças pessoais para você aplicar no seu dia a dia.

Se você fizer isso, com certeza vai notar algumas mudanças na sua vida, e uma delas vai ser o dinheiro sobrando no seu bolso.

Antes de te falar quais são essas regras, eu quero te dizer que elas não são dicas para você apenas aprender e usar elas apenas nas rodas de amigos, em bate papo.

Elas foram feitas para você praticar, e é isso que vai fazer a maior diferença. Portanto, ponha em prática!

Controle financeiro

1 – Gastar menos do que ganha

A primeira regra é óbvia, mas tem muita gente que simplesmente não coloca ela em prática.

Foi feito um levantamento no brasil que fala que uma em cada quatro pessoas fecha o mês com a conta negativa. Esse é o seu caso?

Se for, a primeira coisa que você deve fazer é colocar na sua cabeça que é hora de mudar essa situação de uma vez por todas e a melhor forma de fazer isso é mapeando os seus gastos para criar metas financeiras que sejam fáceis de realizar.

Criar uma meta financeira nada mais é do que definir o quanto do seu dinheiro vai para cada área importante da sua vida. Isso é o mesmo que criar um orçamento.

2 – Pague-se Primeiro

Eu aprendi isso com o autor Robert Kiyosaki, mas também vi esse mesmo conselho sendo passado adiante no livro “O Homem mais Rico da Babilônia”.

Esse é um conceito fundamental que faz toda a diferença quando é posto em prática.

Você já deve ter prometido várias vezes que iria guardar tudo o que sobrasse do seu dinheiro no final do mês, mas na verdade o problema é que isso nunca acontece, não é mesmo?

Nunca vão faltar oportunidades para você gastar o seu dinheiro, por isso você precisa encarar sua poupança mensal como uma despesa a mais, de preferência colocando uma data de vencimento para ela, e quem sabe até uns “juros”, caso você não consiga “pagar a tempo”.

O mais importante nesse passo, é você adquirir o hábito de poupar. Esse será o seu maior desafio.

3 – Poupe Pouco, Mas Poupe Sempre

Você já deve ter ouvido algum youtuber ou educador financeiro falar para poupar 10% ou 15% da sua renda mensal, e outros até falam para poupar 30%. Aí você fica desesperado achando que é muito para começar e que nunca vai conseguir.

Realmente, criar o hábito de poupar dinheiro não é uma tarefa fácil, agora se você considerar todos os compromissos financeiros no seu dia-a-dia, fica impossível.

Por isso recomendo que você comece aos poucos. Dê um passo de cada vez.

Depois que você fizer o mapeamento das suas despesas, vai ter uma noção real da sua situação financeira.

Se você identificar que existem algumas dívidas no seu nome, você não precisa começar com 10% .Pague todas as dívidas primeiro, fique no azul e então dê o próximo passo.

Depois que acabarem as parcelas dos seus débitos você começa a poupar um percentual maior, mas até lá você pode guardar um valor simbólico mensalmente, só para te ajudar a criar o hábito de poupar.

Não importa a quantia que você poupa, o que vai fazer a diferença é a frequência e o tempo dos seus aportes. Quanto mais tempo você poupar, melhor.

4 – Busque Conhecimento Específico Sobre Dinheiro

Procure sempre saber mais sobre finanças pessoais e até mesmo investimentos.

Talvez esse assunto não te interessa tanto, mas a verdade é que todo mundo precisa saber um pouco sobre finanças e investimentos. Além do mais, quanto mais você souber sobre um assunto, menos chances você tem de cometer erros nele.

Por isso eu aconselho que você assista vídeos sobre finanças pessoais, acesse sites sobre finanças ou até mesmo faça algum curso específico para cuidar melhor do seu dinheiro e aprender a investir da melhor maneira possível.

Finanças Pessoais

5 – Nunca Confie em Apenas uma Fonte de Renda

A quinta dica aqui é não vincular a sua segurança financeira totalmente ao seu emprego atual. A maioria das pessoas não gostam de pensar na possibilidade de ficarem desempregadas.

Só que essa preocupação dobra de tamanho para quem não consegue usar o dinheiro para alguma coisa além de pagar as contas.

Se você só tem uma fonte de renda, ou só usa o seu dinheiro para pagar as contas do dia a dia, você está 100% refém do seu emprego atual.

E por melhor profissional que você seja, não está livre do risco de ser demitido. Você precisa diminuir a dependência do seu emprego.

Talvez você não vai parar de trabalhar tão cedo, mas se mantiver uma reserva financeira de três a seis meses da sua renda, você vai ter um certo “fôlego” para conseguir se recolocar no mercado.

Uma outra opção é guardar dinheiro para criar uma fonte de renda alternativa, seja como um negócio próprio ou algo que gere renda passiva para você, assim você não vai ficar totalmente refém do seu trabalho.

Confira também: Como identificar o melhor investimento em renda fixa

Conclusão

Meu conselho é que você coloque em prática cada uma dessas 5 dicas que eu te passei. Não sei como anda sua situação financeira atual, mas tenho certeza que ela vai melhorar com a aplicação dessas 5 regrinhas básicas.

Essa foi apenas a ponta do iceberg nas finanças pessoais, continue estudando sobre o assunto que assim você vai longe. Muito sucesso!

123 Notícias

Outros artigos