Quais os impactos da reforma tributária nos planos da previdência privada?

Afinal, quais os impactos da reforma tributária nos planos da previdência privada? Neste artigo, responderemos essas e outras indagações que muitos brasileiros têm!

Desconhecida por muitos brasileiros, a previdência privada é uma modalidade que tem despertado cada vez mais a atenção das pessoas, sobretudo com os avanços que a reforma da previdência têm apresentado e as novas tributações criadas.

É importante salientar que aposentadoria privada é uma alternativa que visa complementar a renda do beneficiário, não desprezando a previdência social.

Já que, se por um lado a previdência social garante a aposentadoria ao trabalhador por meio de pagamentos feitos ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), a previdência privada, por outro lado, oferece uma possibilidade de investimento particular que o próprio trabalhador faz em sua aposentadoria.

É uma opção válida para todos aqueles que pretendem aumentar sua renda a longo prazo.

Devido às fragilidades que o INSS apresenta, cada vez mais pessoas têm aderido a previdência privada, tendo em vista que ela é intermediada por instituições financeiras ou empresas investidoras direcionadas ao assunto.

A aposentadoria privada é a construção, a longo prazo, de uma renda que será usufruída pelo próprio investidor, o que garante a ele segurança, estabilidade e a sensação de estar investido em seu próprio futuro.

É importante destacar que existem dois tipos de aposentadoria privada: os formatos PGBL e VGBL.

Cabe ao investidor, junto a um consultor direcionado, decidir, por meio de uma avaliação de suas finanças, qual é a melhor opção para si mesmo, tendo em vista que é preciso avaliar minuciosamente a própria realidade financeira a fim de investir na previdência privada de forma assertiva.

A necessidade da reforma tributária

Ao falar sobre a previdência privada, não podemos desconsiderar alguns aspectos importantes da economia que podem influenciar demasiadamente os trabalhadores a optarem por esta modalidade de aposentadoria. Um desses aspectos é a reforma tributária, a qual vem sendo amplamente debatida na esfera político-econômica.

As expectativas em torno dessa reforma revelam uma imensa necessidade de mudança na carga de impostos do país e demonstram esperança em relação a uma provável melhoria na agenda econômica, diferentemente da realidade vigente.

Assim, a reforma tributária emerge como uma necessidade imperiosa, visto que a realidade do país demonstra uma grande vulnerabilidade no que diz respeito ao pagamento de impostos.

Carga tributária no Brasil

A carga tributária nacional se apresenta como um grande impasse para que a economia do país avance. Alguns aspectos são considerados fulcrais para que este impasse ocorra, dentre os quais podemos mencionar: má distribuição e aplicabilidade dos subsídios tributários e um sistema regressivo e desproporcional que coaduna diretamente com a desigualdade social, perpetuando-a na sociedade.

Com a reforma tributária, alguns setores da economia naturalmente sofrerão impactos, os quais dependerão do modo como a reforma será executada.

Contudo, as discussões acerca da reforma apresentam um horizonte de expectativa positivo para um país cujo está mergulhado em impostos abusivos e que pouco representam alguma possibilidade de avanço e progressão.

A reforma da previdência como um novo horizonte de perspectiva

Para além da reforma tributária, uma outra reforma em curso também deve ser levada em consideração no que diz respeito aos efeitos causados na aposentadoria do trabalhador brasileiro, isto é, a reforma da previdência. O Brasil vive, hoje, uma realidade nada animadora no que concerne à economia.

Há um cenário de recessão, crise e instabilidade que circundam as esferas econômicas do país e colocam em risco a estabilidade de muitos, senão todos, os trabalhadores.

Nesse contexto, surgem as propostas da reforma da previdência que visam estancar os efeitos da crise e assegurar ao trabalhador a tão esperada aposentadoria.

Alguns problemas da reforma

As reformas mencionadas preveem melhorias em relação ao patamar que a economia figura, hoje, no Brasil. Elas apresentam encaminhamentos que procuram reparar falhas e instabilidades no sistema vigente.

Se por um lado a reforma tributária visa descomplicar os impostos e livrar o país do jugo exacerbado vivido atualmente, a reforma da previdência, por outro lado, pretende garantir a aposentadoria dos que dedicaram sua vida ao trabalho e esperam vivenciar sua velhice com segurança e estabilidade.

Nesse viés, ambas as reformas corroboram para que cada vez mais pessoas se interessem pela previdência privada, uma vez que ela assegura um maior conforto a quem precisa e merece descanso e qualidade de vida após anos de dedicação ao mercado de trabalho.

Os impactos da reforma da previdência na aposentadoria privada

O PGBL (Plano Gerador de Benefício Livre) é direcionado para trabalhadores que precisam pagar altas quantias ao Imposto de Renda, uma vez que o valor pode ser abatido do imposto, desde que não seja maior que 12% da renda anual do investidor.

O VGBL (Vida Gerador de Benefício Livre), por sua vez, não deve ser descontado no Imposto de Renda que o investidor declara.

O resgate do investimento na aposentadoria privada é feito por meio dos impostos pagos somente sobre os rendimentos, e não sobre o valor completo que é acumulado na previdência.

Reiteramos, portanto, a informação supracitada de que é imprescindível que haja uma avaliação financeira antes de optar pela modalidade da aposentadoria privada.

Podemos elencar alguns pontos da reforma da previdência que contribuem para que o interesse do trabalhador pela previdência privada aumente, sendo eles: o fato de que a reforma compreende algumas mudanças acerca do tempo de contribuição do trabalhador e, também, alteração na idade definida para que o indivíduo se aposente por meio do INSS.

Afinal, os resultados são ou não favoráveis?

Dessa forma, depreende-se, portanto, que as reformas mencionadas produzem impactos não só no interesse e alcance da aposentadoria privada, mas também em seus planos, uma vez que as reformas estão diretamente ligadas ao campo econômico do país e, por conseguinte, a todos os elementos que são abarcados pelo espectro da economia, incluindo a previdência privada.

Nessa perspectiva, é fato que as reformas, se executadas de forma correta, serão muito bem sucedidas e irão implicar em mudanças expressivas na realidade econômica e social do país, bem como afetarão diretamente a previdência privada brasileira.

123 Notícias

Outros artigos