Quais são as regras dos fundos de previdência privada?

Com a aposentadoria pública cada vez mais difícil no Brasil, a previdência privada virou uma opção excelente para garantir o futuro. Para isso, é preciso entender como funcionam e quais são as regras dos fundos de previdência privada. Aqui, vamos mostrar as principais características da aposentadoria privada.

A previdência complementar serve para garantir uma renda adicional à previdência pública. Os planos de previdência privada alocam o capital dos investidores em diversos ativos do mercado com o intuito de garantir o máximo de rentabilidade.

O que são os fundos de previdência privada?

Os fundos de previdência privada se assemelham aos fundos de investimentos, a principal diferença é a sua finalidade. Estes fundos são focados em ajudar investidores a guardar recursos para a aposentadoria.

Diferente dos planos de previdência, que são um produto financeiro de investimentos para a sua aposentadoria, os fundos de previdência privada investem o dinheiro em ativos diversos. Todo o fundo de investimentos é administrado por um gestor que escolhe ativos para comprar e vender, sempre pensando em garantir a maior rentabilidade possível.

Como funcionam os fundos de previdência privada?

Se você quer começar a investir na sua aposentadoria complementar, é importante entender como esses fundos funcionam. Confira abaixo algumas das principais características dos fundos de previdência privada:

Composição de carteira

Os fundos de previdência privada possuem carteiras com ativos de diferentes linhas. Então, é importante que o investidor conheça o seu perfil para que aplique o seu capital em um fundo administrado por um gestor que tenha o seu estilo de investir.

Existem quatro tipos de fundos de previdência privada, são eles:

  • Renda Fixa: Os fundos de previdência com foco em renda fixa aplicam a maior parte de seu capital em CDBs, debêntures, títulos do Tesouro Direto e outros.
  • Balanceados: Este tipo de fundos de previdência busca retorno a longo prazo e alocam capital em diversos ativos, seja de renda fixa ou variável. Os fundos são classificados pelo percentual de aplicação em renda variável, o que varia entre 15% e até mais de 49% dos ativos.
  • Multimercados: Esses fundos aplicam o capital em diversos tipos de ativos, de acordo com as suas regras. Fundos multimercados livres podem investir em qualquer classe de ativos, enquanto os fundos juros e moedas investem apenas em ativos ligados a juros e moedas estrangeiras.
  • Ações: Os fundos de previdência de ações são aqueles que investem, pelo menos, 67% do capital em ações e cotas de fundos de ações.

Rendimento

Os rendimentos dos fundos de previdência privada são variados. Isso porque a rentabilidade depende do trabalho desenvolvido pelo gestor. Em resumo, os fundos que mais tendem a alcançar resultados expressivos são os que investem bastante em renda variável, porém o nível de risco é bem mais alto do que os fundos que aplicam bastante em renda fixa.

Porém, mesmo os fundos de previdência de renda fixa costumam ter bons rendimentos porque o foco deste tipo de investimentos é no longo prazo. Na previdência privada, quanto mais tempo o investidor demorar para fazer o resgate, maior tende a ser o rendimento.

Custos

Existem dois principais custos nos fundos de previdência privada: a taxa de carregamento e a taxa de administração. A taxa de carregamento é um valor cobrado a cada aporte realizado. O valor é descontado em cada contribuição feita pelo investidor.

Por pressão do mercado, algumas instituições financeiras oferecem fundos com isenção de taxa de carregamento. Outros fundos diminuem o percentual cobrado, de acordo com o valor da contribuição, fazendo com que o valor do aporte determine a taxa de carregamento.

A taxa de administração é cobrada pela gestão do fundo em que o dinheiro é aplicado. O valor é cobrado para remunerar os gestores e custear toda a manutenção operacional necessária para manter o fundo rendendo.

Essa taxa é cobrada por percentual anual, com base no rendimento anual da aplicação. Como os fundos de previdência privada, a taxa de administração pode fazer bastante diferença na rentabilidade da sua aposentadoria privada.

Tributação

Existem dois tipos de tabela nos fundos de previdência. A tabela regressiva que visa estimular a manutenção do rendimento a longo prazo, por isso o percentual cobrado diminui conforme o tempo em que o capital é mantido no fundo, podendo chegar a apenas 10%.

A tabela progressiva já segue a regra inversa da regressiva. Neste caso, as alíquotas de Imposto de Renda aumentam conforme o valor aplicado, podendo chegar a até 27,5%.

Vale a pena investir em um fundo de previdência privada?

Sim, vale bastante a pena porque os fundos de previdência privada são uma forma de garantir uma aposentadoria mais tranquila. Essa é uma forma de diminuir a pressão por alongar o período de trabalho para ter uma aposentadoria pública decente. Aprenda sobre os fundos de previdência, escolha um em que o investidor tenha o seu perfil e comece a pensar no futuro!

Continue acompanhando as dicas do portal 123 notícias.

123 Notícias

Outros artigos