Taxa de administração: saiba o que é cobrado nos seus investimentos?

A taxa de administração é uma cobrança comum em ativos de renda fixa, renda variável, previdência privada, fundos de investimentos e outras aplicações. Essa taxa é cobrada para cobrir os custos que a administradora da aplicação tem com as aplicações de seus investidores.

Aqui vamos entender como essa taxa funciona, como ela é cobrada, como ela é definida e como afeta a rentabilidade dos seus investimentos. Dar uma conferida na taxa de administração do investimento, antes de aplicar o dinheiro é um fator importantíssimo para movimentar o seu capital corretamente.

O que é taxa de administração?

A taxa de administração é o valor pago para o gestor de uma aplicação financeira. Esse valor é repassado para o gestor para cobrir os custos de gerência e administração do capital dos investidores.

Normalmente, ela é definida em um valor percentual anual e incide diretamente sobre o montante aplicado no período. Então, quanto maior for o investimento em 1 ano, maior será o valor pago. Geralmente, a taxa de administração é expressa em % ao ano.

Por que a taxa de administração é cobrada?

A cobrança da taxa de administração representa uma forma de remunerar os gestores de aplicações financeiras por sua prestação de serviços. Nessa taxa, estão inclusos os custos de pagamento ao gestor da aplicação, custódia, auditoria e outras despesas operacionais para que o seu capital se mantenha aplicado e rendendo.

Muitas pessoas confundem a taxa de administração com a taxa de performance. No caso da taxa de performance, a cobrança só é válida em aplicações financeiras ativas em que o gestor trabalha diariamente para o seu capital render, o que não acontece em todos os investimentos.

Dessa forma, a taxa de performance é paga quando o rendimento da aplicação superar a meta proposta. Assim, é pago um valor excedente sobre a rentabilidade do período.

Como é feita a cobrança da taxa de administração?

Como falamos acima, a taxa de administração é cobrada em percentual anual. A cobrança é proporcional ao montante aplicado no período. Assim, se o investidor aplicou R$ 40 mil em um ano e a taxa de administração é de 2% ao ano, ele terá de pagar R$ 8 mil no ano.

A cobrança é feita de forma automática, o valor é descontado diariamente. Então, mesmo em caso de rendimentos negativos em um mês ou ano, a taxa continuará sendo cobrada normalmente.

Logo, você deve entender que em caso de valorização ou desvalorização da aplicação, o valor cobrado muda, já que ele é proporcional ao percentual anual do montante investido. Geralmente, na apresentação dos fundos de investimentos e outros ativos, já é possível ter uma noção do desconto automático da taxa de administração.

Como a taxa de administração afeta a rentabilidade dos investimentos?

Esse é um fator importantíssimo para escolher uma aplicação. Calcular o impacto da taxa de administração na rentabilidade da sua aplicação é essencial para verificar se realmente o investimento vale a pena.

O cálculo se torna ainda mais importante em investimentos de renda fixa, já que a rentabilidade destas aplicações depende da taxa Selic. E quanto menor a taxa, mais árduo será o trabalho do gestor da aplicação para garantir a rentabilidade do investimento.

Geralmente, os fundos de investimentos cobram taxa de administração de 2% ao ano, por exemplo. E para saber se essa taxa afeta negativamente a sua rentabilidade, é importante perceber o histórico do fundo e a capacidade do gestor em trabalhar para que o seu dinheiro continue rendendo o máximo possível.

Em alguns casos, a taxa de administração pode tornar a aplicação pouco atrativa porque com as taxas e impostos que também são cobrados, a rentabilidade praticamente desaparece. Então, é muito importante verificar a taxa de administração do investimento antes de aplicar o seu dinheiro.

Há outras taxas previstas em aplicações financeiras?

Além de taxa de administração e a taxa de performance que já falamos aqui no texto, existem outros custos cobrados tanto em fundos de investimentos como em outras aplicações do mercado, confira algumas delas abaixo:

Imposto de Renda

O Imposto de Renda incide na rentabilidade de diversas aplicações financeiras. As alíquotas variam de acordo com a tabela tributária escolhida pelo investidor, que pode ser progressiva ou regressiva.

Em fundos de investimentos, o come-cotas é a forma de antecipação do Imposto de Renda nos fundos, sendo cobrado a cada seis meses.

Taxa de carregamento

Em planos de previdência privada e fundos de investimentos é cobrada uma taxa de carregamento. Essa taxa é cobrada quando o investidor investe e faz o resgate parcial ou integral do investimento. Como podemos perceber, investimentos contam com diversas taxas embutidas na aplicação. Dessa maneira, é preciso fazer as contas, conhecer todos os detalhes para fazer os investimentos certos, garantindo o menor impacto sobre a rentabilidade do seu capital.

Continue acompanhando o nosso Portal de notícias, pois, trazemos informações e conteúdos de qualidade todos os dias. Também, compartilhe o artigo em suas mídias sociais, para nos motivar a trazer mais conteúdos como este.

123 Notícias

Outros artigos