Dentista esclarece: Quando usar aparelho ortodôntico? Saiba mais!

Você já se perguntou se precisa usar aparelho ortodôntico? E mais: Quando usar aparelho ortodôntico?

A resposta para essas perguntas vai muito além da aparência do sorriso. Quem tem os dentes tortos pode nem se incomodar tanto com a estética, mas a condição favorece problemas de saúde bucal, que merecem atenção.

Neste artigo vamos te contar tudo sobre qual é o melhor momento para buscar um tratamento ortodôntico, e como escolher o aparelho ideal para seu sorriso.

O que é o aparelho ortodôntico? Para que serve?

O aparelho ortodôntico é uma ferramenta responsável por movimentar os dentes até que eles cheguem à posição correta. 

Quando usar aparelho ortodôntico?

O formato convencional consiste em peças coladas nos dentes, conhecidas como bráquetes, que são unidas por uma banda ou fio de metal. A tecnologia avançou muito ao longo dos anos e tornou os aparelhos mais confortáveis e discretos.

O tratamento tem fins estéticos, mas também funcionais, dependendo do caso e das características de cada sorriso.

Quando usar aparelho ortodôntico: Como é feito o diagnóstico?

Quem pode indicar o tratamento ortodôntico é o ortodontista, profissional da odontologia que estuda a movimentação dos dentes. O diagnóstico começa com uma análise da arcada dentária e avaliação da saúde bucal do paciente.

É preciso fazer uma documentação ortodôntica para dizer se o aparelho é indicado para alinhar os dentes. Essa documentação é composta por um raio-X panorâmico, que mostra como está a saúde dos dentes, e um scan 3D ou moldagem, que digitalizam o sorriso.

Alguns fatores impossibilitam o início do tratamento, como cáries, inflamações na gengiva ou sinais de perda óssea. Qualquer tipo de pendência clínica pode interferir na movimentação dos dentes e comprometer o resultado do uso do aparelho.

Quando usar aparelho ortodôntico: veja as principais causas

Para saber quando usar aparelho ortodôntico, o primeiro passo é saber como está o seu sorriso. Os casos que necessitam de correção com aparelhos são de dentes tortos, espaçados ou mordidas que não se encaixam da forma correta.

Vejamos alguns exemplos:

Dentes tortos

O apinhamento, também conhecido como dentes tortos, acontece quando os dentes não possuem espaço suficiente na arcada dentária, e ocupam posições diferentes das que deveriam.

Existem apinhamentos leves, que comprometem apenas a estética do sorriso, e apinhamentos moderados a severos, que passam a interferir na funcionalidade e na saúde bucal.

Dentes separados (diastema)

Quando os dentes ficam com espaços entre eles, causados pela posição incorreta ou pela falta de um ou mais dentes na arcada. 

Esses espaços são chamados de diastema, e podem se fechar naturalmente ao longo da vida, ou com o uso de aparelhos ortodônticos. 

Mordida aberta

Quando os dentes da frente não se tocam em posição de mordida, evidenciando uma abertura. 

Uma das principais causas de mordida aberta é o uso prolongado de chupetas e mamadeiras na infância – os dentes se formam com a abertura na parte da frente do sorriso.

Mordida cruzada

Na mordida cruzada, um ou mais dentes superiores se encaixam para dentro dos inferiores, causando um cruzamento. 

Em casos mais severos, a mordida cruzada pode causar desgaste nos dentes e na gengiva, levando à perda óssea e doenças periodontais.

Overjet

O paciente com overjet possui os dentes da arcada superior mais projetados para frente em relação aos inferiores, o que em posição de mordida causa a impressão de que o queixo está para dentro.

Além de causar dores nas articulações da mandíbula, o overjet pode também impedir o fechamento dos lábios. 

Sobremordida

A mordida profunda é mais um caso de má oclusão em que os dentes de cima sobrepõem totalmente os dentes de baixo. 

Em casos de alta complexidade, o paciente pode ter desgaste nos dentes e problemas até mesmo na articulação do maxilar.

Quando usar aparelho ortodôntico: Tipos de aparelho ortodôntico

Depois de entender a necessidade de usar um aparelho ortodôntico, chega a hora de escolher qual é o tipo ideal. Essa escolha depende de alguns fatores: aparência,  conforto, preço e disciplina de uso.

O aparelho mais comum é o fixo metálico. Ele é o mais aparente, já que os bráquetes e fios de metal chamam a atenção no sorriso, e não costuma ser tão confortável. No entanto, é o aparelho que menos requer disciplina, já que ele fica fixado nos dentes.

Existe também o aparelho fixo estético, no qual os bráquetes são feitos de porcelana ou safira, da mesma cor dos dentes. Ele é pensado para ser mais discreto, mas ainda assim é aparente.

O aparelho mais discreto e confortável do mercado é o aparelho transparente. Ele consiste em uma série de alinhadores feitos sob medida, que movimentam os dentes por fases. 

Por ser removível, ele permite escovar os dentes sem obstáculos e não requer restrições alimentares, o que é uma grande vantagem em relação ao aparelho fixo.

Problemas que podem surgir se não usar aparelho

Se o seu caso requer o uso de aparelho ortodôntico, é muito importante seguir o tratamento de acordo com a recomendação do ortodontista.

 Isso porque a falta dele pode trazer prejuízos ainda maiores para sua saúde bucal.   

“Quando os dentes são muito tortos, fica mais difícil escová-los ou passar fio dental, e o acúmulo de placa bacteriana aumenta”, explica Gabriela Prado, dentista da SouSmile, marca especializada em aparelho invisível. Isso significa um risco maior de cáries e tártaro, problemas que comprometem os dentes.

Os casos de mordida podem trazer outras condições ainda mais graves. “A mordida cruzada severa, por exemplo, pode forçar as articulações da mandíbula, o que causa as dores na região, conhecidas como DTM (disfunção temporomandibular)”, aponta Gabriela.

Descubra também os 5 malefícios que o cigarro causa no seu sorriso.

123 Notícias

Outros artigos